PUB
PUB
apresentação das flexões do modo conjuntivo no conjugador da Priberam [Flexão verbal]

Aproveito, em primeira ordem, para vos agradecer pelo serviço prestado à sociedade. O vosso portal é uma ferramenta imprescindível no meu quotidiano, não crendo eu ser, de todo, um caso isolado. Dito isto, venho alertar-vos para o erro existente no template da conjugação verbal, mais precisamente no modo conjuntivo: A substituir: que eu tivesse -> se eu tivesse se eu tiver -> quando eu tiver
João Meneses (Portugal)

A apresentação do conjuntivo na tabela de conjugação dos verbos usa exemplos contextuais para que a sua leitura seja mais clara para os consulentes, mas não implica que sejam aqueles os únicos contextos em que as formas do conjuntivo possam ser usadas.

Assim, o pretérito imperfeito do conjuntivo pode ser usado em frases como “Gostava que tivesses melhores notas na escola” ou “Se eles tivessem muito dinheiro, podiam viajar mais”. O mesmo pode ser dito em relação ao futuro do conjuntivo, possível em frases como “Se eu tiver tempo, ajudo-te” ou “Quando nós tivermos o jantar pronto, chamamos-vos”.

Como pode verificar pelos exemplos acima expostos, não se trata de um erro do conjugador, mas apenas uma opção de contextualização das formas verbais apresentadas, uma vez que o conjuntivo é de um modo geral usado após conjunções subordinativas como “se”, “quando” ou “que”, para expressar desejo, dúvida, incerteza ou possibilidade.

Pedro Mendes, 17/01/2018

Notas:

  1. As respostas são datadas e escritas segundo a ortografia da norma europeia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.
  2. A base do dicionário foi alterada a 1 de Abril de 2009, pelo que as referências em dúvidas anteriores a esta data podem não corresponder ao conteúdo actual. As respostas sobre questões ortográficas são maioritariamente baseadas na norma ortográfica portuguesa de 1945, contendo as respostas mais recentes indicações sobre a ortografia antes e depois do Acordo Ortográfico de 1990.
  3. A bibliografia utilizada está disponível aqui.