PUB
PUB
de mais / demais [Sintaxe / Ortografia / Locuções]

Tenho dúvidas na utilização de de mais e demais. Aguardo esclarecimento.
Alexandre Machado

Relativamente à diferença entre demais e de mais, não deve haver hesitação quando esta expressão está a desempenhar uma função de determinante ou pronome indefinido, isto é, quando pode ser substituído por outra, outro, outros ou outras - nesse caso deverá ser sempre utilizada a forma demais (ex.: entregou a certidão, mas os demais documentos serão enviados pelo correio; venderam parte da mercadoria, a demais foi armazenada). Também nos casos em que se trata do advérbio com o significado equivalente a ‘além disso’ ou ‘de resto’, deverá sempre ser utilizada a forma demais (ex.: considerou o resultado insuficiente, demais nunca gostara daquele serviço).

As restantes estruturas são problemáticas em português, não só para os utilizadores da língua, mas também para registos em gramáticas e dicionários.

Segundo Rebelo Gonçalves, no seu Vocabulário da Língua Portuguesa, o advérbio demais tratado acima não se deve confundir com a locução adverbial de mais. Esta locução tem significado idêntico a demasiado e constitui uma locução adverbial de intensidade ou de quantificação (ex.: ficou indisposto por comer de mais; achou o trajecto longo de mais). Alguns dicionários como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa/Verbo (2001) ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, do Círculo de Leitores (2002), consideram inclusivamente que o uso da forma demais neste contexto é brasileirismo, o que nos parece abusivo se fizermos uma pesquisa em textos portugueses. Celso Cunha e Lindley Cintra (Nova Gramática do Português Contemporâneo, Ed. João Sá da Costa, Lisboa, 1998, p. 538-541), por sua vez, incluem demais na lista dos advérbios de intensidade, sem referência à locução de mais na lista de locuções adverbiais.

Por este motivo, e excluindo os dois contextos referidos inicialmente (ex.: entregou a certidão, mas os demais documentos serão enviados pelo correio; considerou o resultado insuficiente, demais nunca gostara daquele serviço), poderá ser opcional o uso de de mais ou de demais. Por outro lado, a expressão de mais pode ainda corresponder apenas à preposição de seguida do pronome indefinido mais, sem qualquer unidade sintáctica ou semântica (ex.: serviu-se de [mais] arroz; a entrada de [mais] pessoas pode criar problemas de sobrelotação; precisava de [mais] dinheiro) e nesse caso, obviamente, não poderá ser utilizada a forma demais.

Helena Figueira, 17/06/2005

Notas:

  1. As respostas são datadas e escritas segundo a ortografia da norma europeia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.
  2. A base do dicionário foi alterada a 1 de Abril de 2009, pelo que as referências em dúvidas anteriores a esta data podem não corresponder ao conteúdo actual. As respostas sobre questões ortográficas são maioritariamente baseadas na norma ortográfica portuguesa de 1945, contendo as respostas mais recentes indicações sobre a ortografia antes e depois do Acordo Ortográfico de 1990.
  3. A bibliografia utilizada está disponível aqui.