PUB
PUB
conjugação do verbo prazer [Verbos unipessoais]

Estou fazendo um estudo da língua portuguesa e identifiquei que há uma divergência entre o dícionário on-line e a minigramática de Jésus Barbosa de Souza e Samira Youssef Campelli. Segundo o livro, o verbo prazer é conjugado somente nas terceiras pessoas do singular e do plural. Como vou prestar o exame da fuvest, gostaria que me respondessem.
Chrysquinlan (Brasil)

Efectivamente o verbo prazer (tal como aprazer ou desprazer, mas diferentemente de comprazer, cf. Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso CUNHA e Lindley CINTRA, 14ª ed., Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, pp. 430-431) é geralmente considerado unipessoal na tradição gramatical, só se conjugando na terceira pessoa do singular e do plural, pelo que a informação da minigramática que consultou é correcta. No entanto, é de referir que nem sempre há consenso entre os gramáticos quanto à defectividade de um dado verbo.

De facto, obras como o Dicionário de Verbos Portugueses (Porto: Porto Editora, s.d.), por exemplo, apresentam a conjugação completa deste verbo no paradigma de aprazer. Por seu lado, o Dicionário Gramatical de Verbos Portugueses (Lisboa: Texto Editores, 2007) apresenta no paradigma de aprazer a conjugação completa, com as formas unipessoais destacadas, observando que estes verbos podem ser conjugados hipoteticamente em todas as pessoas. Já o Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa (versão 1.0, Instituto Antônio Houaiss, Dezembro de 2001) menciona na conjugação de aprazer e de desprazer a observação "Este verbo, normalmente só usado nas terceiras pessoas, apresenta, quando pronominal, conjugação completa." e, na conjugação do verbo prazer, a observação "Embora alguns gramáticos admitam, para este verbo, conjugação completa, no uso corrente, constata-se apenas a conjugação defectiva".

A este respeito convém talvez transcrever o que diz Rebelo Gonçalves no seu Vocabulário da Língua Portuguesa (1966: xxx): "Indicando a conjugação de verbos defectivos, incluímos nela, donde a onde, formas que teoricamente podem suprir as que a esses verbos normalmente faltam. Critério defensável, parece-nos, porque não custa admitir, em certos casos, que esta ou aquela forma, hipotética hoje, venha a ser real amanhã; e, desde que bem estruturada, serve de antecipado remédio a possíveis inexactidões."

Ver também: aprazer / aprouver

Cláudia Pinto, 12/02/2004

Notas:

  1. As respostas são datadas e escritas segundo a ortografia da norma europeia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.
  2. A base do dicionário foi alterada a 1 de Abril de 2009, pelo que as referências em dúvidas anteriores a esta data podem não corresponder ao conteúdo actual. As respostas sobre questões ortográficas são maioritariamente baseadas na norma ortográfica portuguesa de 1945, contendo as respostas mais recentes indicações sobre a ortografia antes e depois do Acordo Ortográfico de 1990.
  3. A bibliografia utilizada está disponível aqui.