PUB
PUB
sentidos depreciativos de fadista

Vi a seguinte publicação (facebook.com/aldina.duarte/posts/10222735970893409) numa rede social sobre a definição de "fadista" como sinónimo de pessoa de "baixa condição" ou de "prostituta". O que tem a Priberam a dizer sobre isto?
LF (Portugal)

Graças à referida publicação e à sua chamada de atenção, o verbete fadista foi alvo de revisão no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (DPLP).
Como é referido no site, o DPLP teve por base o Novo Dicionário Lello da Língua Portuguesa (Porto, Lello Editores, 1996 e 1999), cujo conteúdo foi adaptado para formato adequado à disponibilização electrónica pela Priberam e que tem sido revisto pela sua equipa de linguistas, estando em constante actualização e melhoramento. Infelizmente, o verbete fadista ainda não tinha sido revisto e só agora foi alvo de reformulação.

A função de um dicionário passa por uma descrição dos usos da língua, devendo basear-se essencialmente em factos linguísticos e não estabelecer juízos de valor relativamente a eles, antes apresentá-los o mais objectivamente possível. Especificamente em relação às definições da palavra fadista, o DPLP tenta então veicular o significado que ela apresenta ou apresentou na língua, mesmo que alguns dos seus significados possam revelar o preconceito ou a discriminação presentes no uso da língua.
As acepções que podem ser consideras injuriosas tiveram curso em Portugal (como se pode verificar através de pesquisa em corpora), sendo usadas em autores como Camilo Castelo Branco ou Aquilino Ribeiro, entre outros, estando registadas, para além do DPLP, nas principais obras lexicográficas de língua portuguesa, como o Grande Dicionário da Língua Portuguesa de António Morais Silva (10.ª ed., Lisboa: Editorial Confluência, 1949-1959), Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (Academia das Ciências de Lisboa/Verbo, 2001) ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (edição brasileira da Editora Objetiva, 2001; edição portuguesa do Círculo de Leitores, 2002). O DPLP não pode omitir ou branquear determinados significados, independentemente das convicções de cada lexicógrafo ou utilizador do dicionário, mas deve (e isso foi feito nesta revisão com indicações de registo antigo e depreciativo) assinalar este uso com informações de uso.

Apesar de um dicionário não poder (e, na nossa opinião, nem dever) filtrar a realidade à medida de quem o faz ou de quem o lê, branqueando usos preconceituosos ou pejorativos de determinadas palavras, sejam eles de género, etnia, orientação sexual ou de qualquer outro tipo, pode e deve ser o mais neutro, abrangente e inclusivo possível. Por este motivo, novamente agradecemos este e outros contributos e reafirmamos que no DPLP haverá sempre espaço para melhoramentos.

Ver também: sexo forte e sexo fraco; sentido depreciativo de cigano

Sites a consultar: http://blogue.priberam.pt/2012/02/dicionarios-por-medida.html; http://blogue.priberam.pt/2018/05/m-de-mudanca.html

Helena Figueira, 09/03/2020

Notas:

  1. As respostas são datadas e escritas segundo a ortografia da norma europeia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.
  2. A base do dicionário foi alterada a 1 de Abril de 2009, pelo que as referências em dúvidas anteriores a esta data podem não corresponder ao conteúdo actual. As respostas sobre questões ortográficas são maioritariamente baseadas na norma ortográfica portuguesa de 1945, contendo as respostas mais recentes indicações sobre a ortografia antes e depois do Acordo Ortográfico de 1990.
  3. A bibliografia utilizada está disponível aqui.