PUB
PUB
mantê-lo-á [Pronomes / Flexão verbal]

Tenho uma dúvida com uma forma verbal: mante-lo-à (inserido numa frase do tipo este jogo mante-lo-à entretido durante séculos). É apenas com um acento no A e é um acento grave, certo? Agradecia imenso se me enviassem a forma correcta de escrever esta forma verbal e já agora, que regra é que se aplica na formulação e conjugação destes tempos verbais menos usuais.
Estela Catarino (Portugal)

A ortografia correcta da forma verbal apresentada deve ser mantê-lo-á.

A dúvida colocada diz respeito não propriamente a tempos verbais menos usuais (trata-se da forma manterá, futuro do indicativo do verbo manter), mas à utilização dos clíticos com verbos no futuro do indicativo ou no condicional (ou futuro do pretérito). Este fenómeno denomina-se mesóclise e poderá consultar outras dúvidas respondidas sobre este assunto seguindo a hiperligação para mesóclise e sobre os clíticos em geral seguindo a hiperligação para posição dos clíticos. Outras respostas a dúvidas relacionadas com este tema, que é problemático para o português, podem ser encontradas procurando clítico ou clíticos na caixa de pesquisa das Dúvidas Linguísticas da Priberam.

Sobre a necessidade do acento circunflexo (mantê-lo-á) poderá consultar a dúvida escreve-lo/escrevê-lo. A grafia com acento agudo (e não com acento grave, como refere) explica-se facilmente por se tratar de uma mesóclise do clítico numa forma do futuro do indicativo já de si acentuada (manterá --> mantê-lo-á).

Helena Figueira, 25/02/2005

Notas:

  1. As respostas são datadas e escritas segundo a ortografia da norma europeia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.
  2. A base do dicionário foi alterada a 1 de Abril de 2009, pelo que as referências em dúvidas anteriores a esta data podem não corresponder ao conteúdo actual. As respostas sobre questões ortográficas são maioritariamente baseadas na norma ortográfica portuguesa de 1945, contendo as respostas mais recentes indicações sobre a ortografia antes e depois do Acordo Ortográfico de 1990.
  3. A bibliografia utilizada está disponível aqui.